Acesso exclusivo do aluno

Artigo detalhe

 

O significado do MahaMantra Hare Krishna

por Textos do Vedantaonline
05/03/2015

O SIGNIFICADO DO MAHAMANTRA HARE KRISHNA

Maha-mantra, em sânscrito, significa “o grande mantra”. É o mantra que algumas pessoas da tradição Vaishnava usam nas suas práticas espirituais. Ele é cantado assim:

“Hare Krishna Hare Krishna Krishna Krishna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare”

Existe alguma confusão com relação a este mantra específico. Dizem que somente ele “salva”, nesta época de confusão espiritual chamada Kali-yuga. Dizem que isso é assim porque Krishna é o verdadeiro Deus, a “Suprema Personalidade de Deus”, e assim por diante. Neste artigo vamos investigar estes pontos.

Em primeiro lugar, é interessante notar que este mantra pertence a uma Upanishad, chamada Kali-Santarana Upanishad, e que neste texto o mantra aparece com a seguinte ordem, Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare Hare Krishna Hare Krishna Krishna Krishna Hare Hare. Os Vaishnavas inverteram a ordem provavelmente porque possuem uma afeição especial pela figura de Krishna. Mas no texto original a ordem é esta. E esta ordem tem uma razão de ser. Rama é uma encarnação do dharma, do dever e da ordem, e Krishna é uma encarnação de ananda, da felicidade e do prazer. Rama, o dharma, vem primeiro, e depois segue Krishna, a felicidade, o prazer. É a velha história: “primeiro a obrigação, depois a diversão”.

Quanto à fama do mantra de ser o mais eficaz para Kali Yuga, ela tem fundamento na Upanishad. No diálogo entre Brahma e Narada de que consiste a Upanishad, Brahma fala para Narada que estes dezesseis nomes são os mais eficazes para cruzar “o oceano do samsara” durante a época de Kali.

Mas o que significa esta afirmação de Brahma? Cruzar o samsara significa conhecer o “eu”, atma, que é livre do samsara, do sofrimento. E conhecimento não pode ocorrer simplesmente pela repetição de um mantra, por mais poderoso que ele seja. Conhecimento necessita de um meio de conhecimento (pramana), e repetição de mantra (mantra-japa) não é aceito como meio de conhecimento por nenhuma escola tradicional – nem por Vedanta, nem por Yoga, nem por Samkhya nem por nenhuma outra.

Portanto temos que interpretar corretamente a afirmação de Brahma na Upanishad. A época de Kali – esta mesmo que estamos vivendo – se caracteriza por uma diminuição da capacidade humana de conhecer propriamente as coisas. Nesta época, também, o próprio ensinamento de Vedanta está corrompido de muitas maneiras, de modo que mesmo se a pessoa tiver o raro desejo de estudar, ela terá grande chance de cair em uma tradição de ensino já desvirtuada, sendo incapaz de obter o conhecimento que é a liberação do sofrimento.

Sendo assim, Brahma propõe que a melhor disciplina é a repetição deste mantra, porque ela gerará a pureza mental e o mérito (punya) necessários para que a pessoa possa encontrar um bom professor e tenha a capacidade de entender seu ensinamento. É apenas este o espírito do conselho de Brahma a Narada.

Na Bhagavad-Gita, também, Krishna diz para Arjuna, depois de muito louvar o conhecimento, que a ação com a atitude correta é superior ao conhecimento. E por que ele diz isso? Porque Arjuna tinha que lutar naquele momento, e não ir para algum ashram estudar. Temos que entender que o ensinamento de Vedanta dá ênfase diferentes em momentos diferentes, dependendo das características das pessoas que estão ouvindo. E temos que entender também que em Kali-Yuga as pessoas perdem a capacidade de reflexão, e entendem tudo ao pé da letra…

Portanto, não adianta repetir o Mahamantra achando que você atingirá a liberação, porque isto é impossível, nesta época ou em qualquer outra.

Nossa última questão aqui é com relação à objeção de que Krishna seria o “Verdadeiro Deus”, a “Suprema Personalidade de Deus”, e que por esta razão o Mahamantra seria o “melhor de todos”. De onde surgiu isso?

Este é somente mais um caso de tomar as coisas ao pé da letra característico de Kali Yuga a que aludimos antes. Em muitas passagens da Bhagavad-Gita Krishna diz que ele é a causa do universo, e que todos os seres são sustentados por ele, e assim por diante. Mas quando Krishna diz “eu” ele não está se referindo àquele corpo particular chamado Krishna, amigo de Arjuna, nem a nenhum outro corpo, porque nenhum corpo específico pode ser a causa do universo, já que qualquer forma específica só pode existir depois do universo de nomes e formas ter sido criado, não podendo ser sua causa.

O nome Krishna significa “escuro”. Este nome deriva da raiz verbal “krsh” que tem o sentido de “atrair”. Krishna significa aquele que atrai, e faz alusão ao “eu”, ao atma que é ananda, felicidade, e para o qual todas as pessoas são atraídas. Pois não é um fato óbvio que todas as pessoas, em tudo o quanto fazem, estão atrás da felicidade, sendo atraídas por ela? Mesmo aqueles que dizem que Krishna é o único Deus e que todos que desejam ser “salvos” devem rezar só para ele (e não para os “outros”!) só dizem isso porque têm a expectativa de encontrar ananda, felicidade, quando forem os especialmente escolhidos para irem a Vaikuntha, o “Céu de Krishna”.

O nome Rama deriva da raiz “ram”, com o sentido de “deleitar”, “ter prazer”. Rama significa aquele no qual todas as pessoas se deleitam, isto é, o “eu” satisfeito que todas as pessoas querem encontrar nos momentos de prazer e felicidade.

Assim, Rama e Krishna são exatamente a mesma coisa! Os personagens de Rama e Krishna nas histórias são só personagens de histórias. Eles não devem ser levados ao pé da letra pelas pessoas com discriminação. O Mahamantra é uma linda oração, que significa: “Ó Você que atrai a todos! (Krishna) Ó você no qual todos encontram a felicidade! (Rama) Leve embora, leve embora (Hare Hare) (o meu sofrimento).

Esse texto de Vedanta foi escrito pela equipe do Vedantaonline.

Textos do Vedantaonline

O Vedantaonline é um site criado pelo professor de Vedanta Jonas Masetti (Vishvanatha) para divulgar o conhecimento da Tradição Védica no Brasil. Jonas é discípulo do Swami Dayananda Saraswati, do Swami Saksatkrtananda e da professora Gloria Arieira. Fez o curso residencial de 3 anos no Arsha Vidya Gurukulam em Coimbatore/Índia, e atualmente ministra cursos de Vedanta, Sânscrito, Mantras e outras disciplinas da Tradição Védica pelo Brasil e exterior.


Mais Artigos



Mais Colunistas

Contato

Instituto de Cultura Hindu Naradeva Shala

Rua Coriolano, 169/171, São Paulo (próximo ao SESC Pompéia e ao Shop. Bourbon)

Telefone: (11) 3862.7321 ou (11) 94748.9690 (whats) Email: atendimento@naradeva.com.br