Acesso exclusivo do aluno

Artigo detalhe

 

“Caminhos da Índia”

por Prof. Erick Schulz
15/09/2009

A novela acabou hoje e muitas pessoas já tinham me pedido algum comentário sobre, mas eu procurei ficar calado a maior parte do tempo, agora com o término da novela, acho que chegou o momento do comentário sobre o assunto, então vamos lá !

Durante esses meses todos que a novela estava no ar, eu vi e ouvi tanta besteira sendo falada sobre a Índia na televisão e em alguns meios de comunicação que nem valia a pena mais ler revistas ou assistir programas de TV que comentavam sobre a novela. De um dia para outro, milhares de pessoas se tornaram especialistas na Índia, só assistindo a novela. Infelizmente uma novela deste porte traz este mal, mas no meu ponto de vista a novela não foi de todo o mal, pelo contrário no final das contas foi positiva, vamos analisar então.

Não podemos negar os equívocos que a novela mostrou e foram muitos, mas também temos que analisar que aquilo tudo é uma ficção e quem acredita em ficção? Eu não acredito e espero que as pessoas não acreditem também.

A melhor frase que ouvi durante todo o tempo que a novela está no ar é o seguinte “ ... a novela quer passar uma Índia de 60 anos atrás no dias atuais, isso não existe ...” a Índia nos dias atuais é bem diferente do que se mostra na novela e mesmo antigamente era bem diferente.

Infelizmente a novela não conseguiu passar um pouco do que realmente é o ayurveda e o yoga e outras ciências milenares indianas, o que eles passaram neste sentido foi bem ruim, em compensação a questão familiar foi muito bonita, mostrou que problemas existem em todas as famílias do mundo e todas podem ser resolvidas com calma e muita conversa, a família Ananda é prova disso.

Um ponto importante na novela que foi colocado como comédia, mas é muito sério, foi o personagem Radesh, acho que todos sabem quem é exatamente, é aquele mesmo que queria vender água dos Ganges, pesar a aura e outras falcatruas, infelizmente isso é uma realidade, mas não pensam que só na Índia acontece isso, aqui no Brasil acontece e muito. A Índia é um país milenar e encontrar um farsante como este é lógico que encontramos e de montes em todos os lados, normalmente esses farsantes são aqueles que mais querem aparecer, na TV, nos jornais etc e no nosso país não tem diferença nenhuma, pessoas inventando nomes, comprando títulos, criando formas novas de yoga e ayurveda, pense, existe alguma diferença?

Não posso deixar de comentar sobre outro assunto, que não era do núcleo Indiano, mas foi de grande importância, mostrar o que é esquizofrenia e os psicóticos foi muito importante e espero que tenha ajudado a muitos a entender melhor que essas doenças precisam de tratamento e não são somente pessoas bonitinhas com um probleminha, precisam de tratamento.

O final da novela foi emocionante, ver o Shankar fazer os seus votos foi muito bonito junto com seu filho Opash, a beira do Ganges, mesmo sabendo que esta cidade é bem longe de onde se passa a novela, foi emocionante ver mesmo que na ficção, um homem largar tudo para se tornar um renunciante, todos devem achar que deixar tudo para trás é algo simples, mais é uma das provas mais difíceis que existe, vestir o laranja, terem o seu kamandalu e seu danda somente isso para o resto da vida e existem pessoas que se dizem renunciantes, risos ....

Parabéns a todo o núcleo da novela tenho certeza que a novela trará muitas saudades a todos que assistiram e gostaram desse povo maravilhoso que é o Indiano. Não se iludam, pois nunca uma novela ou um filme conseguirá mostrar exatamente como um povo é ainda mais se tratando de um povo milenar como é o Indiano, mas tenho certeza que a novela conseguiu ser positiva, mostrando uma Índia, linda, que agora todos querem conhecer ..... Hare Baba .....

Foi muito bonito a novela terminar com dança e alegria, pois é exatamente isso que o povo indiano é alegre e que prevaleça o AMOR sempre !

Namaskaram

Prof. Erick Schulz

Erick foi criado nos moldes tradicionais do Sanatana Dharma (sabedoria Perene). Aos 15 anos de idade por influência de sua mãe e por decorrência da fundação do Instituto Naradeva Shala em 1994, começou a se aprofundar nos estudos do ayurveda e yoga. Estudou yoga e ayurveda no Brasil, Índia e Argentina se especializando nessa milenar arte e ciência e sendo reconhecido em todo o Brasil e Exterior. Entre seus certificados de ayurveda, destaca-se para aqueles obtidos no Arya Vaidya Shala, Cochin/Índia e no Arya Vaidya Pharmacy Training Academy, Coimbatore/Índia, este com o qual mantém constante contato e treinamento. Ministra aula de ayurveda em diversos estados do Brasil, no Chile e Argentina. Fazendo parte do corpo docente do Instituto Naradeva Shala e da Escola Latino-Americana de Ayurveda. Aluno direto do Dr. Robert Svoboda, o primeiro Ocidental a se formar como Vaidya (médico ayurvédico) na Índia. É diretor do Instituto de Cultura Hindu Naradeva Shala e Diretor e Instrutor (Gnana Dhatha Acharya) do Ashram Sarva Mangalam da Suddha Dharma Mandalam na cidade de São Paulo/SP. Editor chefe da Editora Naradeva (Naradeva Prakshana).
ayurveda, tri dosha, dosha, ayurvédica, medicina indiana


Mais Artigos



Mais Colunistas

Contato

Instituto de Cultura Hindu Naradeva Shala

Rua Coriolano, 169/171, São Paulo (próximo ao SESC Pompéia e ao Shop. Bourbon)

Telefone: (11) 3862.7321 ou (11) 94748.9690 (whats) Email: atendimento@naradeva.com.br